quinta-feira, 21 de junho de 2012

Estar Consigo, Estando com o Outro ou Só

Saiba estar sozinho e chore se necessário. Muitas coisas em nossa vida não são da maneira que queremos e outras, mesmo que sejam, acabam nos machucando aos poucos. Mesmo assim, não podemos deixar que isso seja tão relevante.

Quando se trata de pessoas que fazem parte de nossos dias, é sempre muito complicado falar, pensar e principalmente concluir algo. Cada um tem uma forma de pensar e várias formas de agir. No nosso relacionamento interpessoal, usamos tanto o outro como apoio para satisfazer às nossas necessidades e nossas realizações, que o outro acaba se tornando,muitas vezes, alguém imprescindível para nós. Mas será que na verdade das coisas é mesmo assim?

Na formação psicosocial de algumas pessoas, essa necessidade de apego ao relacionamento interpessoal tem papel importante. No entanto, como nunca teremos real ou permanente controle sobre as pessoas que nos rodeiam, isso pode se tornar uma armadilha.

Damos ao outro espaço que não lhe é devido, muitas vezes, dando até o espaço principal, lugar este que é predestinado somente a nós. Enquanto isso, vamos vivendo e nos perdendo, deixando que o outro seja o marco, ponto principal de nossa trajetória, o que faz com que nos percamos um pouco mais a cada atitude em prol deste e fique cada vez mais difícil encontrar a si. Até que num momento de choque vemos que aquele não está mais ali e estamos totalmente perdidos por conta do buraco que cavamos para nós mesmos, aplicando a alheios importância e responsabilidades que deveriam ser somente nossas, afinal, a vida é SUA e não de outrem.

Aí então vemos a necessidade de aprender a estar sozinho e como é triste chorar por ter de observar tudo aquilo que passou ou que está acontecendo de longe, sem poder fazer muita coisa, a fim de salvar a nós mesmos e aprender a ser feliz como se deve verdadeiramente ser; com nós mesmos como foco, não perdendo mais tempo, oportunidades e pessoas, principalmente nós mesmos.
Níkolas Medson

Um comentário: